O não saber receber é a perfeita dança dos egos

Se você não sabe receber, e provável não sabe, não tem os receptores de recebimento ativado. Necessita ativa-los.

Sempre que alguém lhe der algo ou que o universo te oferecer algo, provável o sentimento será de rejeição, repulsa.

Digo provável, porque se soubesse receber a satisfação e o agradecimento verdadeiro, aquele que sentimos o corpo vibrar, se manifestaria e com isto uma calma no suficiente se revelaria, mas muito rápido o foco já se foi para aquilo que ainda falta.

Para o que se quer, para o que não veio do jeito que queria, e um pequeno defeito, é colocado.

Então esta sensação se receber não tem base para se sustentar.

A satisfação passa logo, e logo uma sensação de sobrecarga se manifestará.

É como se receber algo de alguém exigisse um esforço,

em algum lugar

É como se quem recebe faz o favor de receber, porque não sabe receber, e isto se torna um sacrifício, um peso, um favor.

Receber algo do outro é um favor que faço, está é a distorção, a doença

Aparentemente não é assim, afinal o “quero” está sempre falando na mente, que mente (conta mentira).

Junto com isto o orgulho, que neste caso, é só o escudo 🛡 de uma grande dor, geralmente de inferioridade.

Muitas vezes o orgulho vem acompanhado de uma cobrança, se eu receber depois terei que dar também, vou ter que dar o que não quero.

Faz-se o vínculo, se receber tenho uma obrigação de retribuir.

Como estamos falando da inferioridade podemos então ir pra superioridade, não querendo nada, assim não devo nada pra ninguém, não devo nada e não preciso dar nada, mas dou pra me sentir “melhor”superior.

Estamos falando um pouco da avareza, não recebo, isto me dá o direito de não dar.

E os egos vão ganhando espaço nesta dança do pouco.

Outra boa aliada para manter esta engrenagem funcionando é a vítima, que tem certeza que recebeu menos, foi preterida, maltratada, injustiçada, com isto espera que alguém venha com o salvamento, não faz por si e olha para quem está “em vantagem” pronto agora chegamos na inveja…

Mas sei ! invejoso sempre é o outro, afinal inveja é pecado, feio e o invejoso merece desprezo, com tantos conceitos e preconceitos na mente, vamos negando aspectos importantes que precisam ser compreendidos e transformados.

Afinal onde se manifesta sua inveja ?

Ainda que silenciosamente fica necessário assumir pra você, não precisa anunciar, e sim ressignificar.

Se sinto inveja tem algo em mim que acredito não ter o direito.

Com todos estes emaranhados, as crenças a partir destes conceitos distorcidos sobre aspectos comuns em nós, e as fidelidades com nossos ancestrais vamos nos mantendo amarrados.

Avaliando minha dificuldade pra receber, lembro uma época, quando fazia a faculdade de Psicologia, passei por um tempo de aperto financeiro e precisei pedir um dinheiro emprestado pra pagar uma mensalidade que venceria, deixei até o dia do vencimento na esperança de entrar algum dinheiro para não precisar pedir emprestado.

Não entrou !

Isto me gerou um sofrimento para meu ego, mas paralelamente uma cura pra minha alma, e de quebra um aprendizado digno do “tapete vermelho”

Lembro que estava saindo da faculdade e era o limite para pagar, porque na sequência iria trabalhar, eu fazia massagem em domicílio naquela época.

Liguei pra minha mãe e pedi o empréstimo pra ela, que prontamente me disse, claro passa aqui pra pegar o cheque, dai como estava no último dia, fui direto ao banco, descontei e paguei a mensalidade da faculdade.

Mas assim que desliguei o telefone, tive um ataque de choro. Precisei parar o carro um pouco e chorar.

Um misto de sentimentos pude reconhecer : me senti humilhada, fraca, perdedora, vulnerável, assustada, ENVERGONHADA, mas de outro lado, passado o “surto” senti a prontidão, a parceria, o carinho, o apoio e que tinha com quem contar e no caso era minha mãe.

E o choro se transformou em emoção, mas como não sabia receber, sofri.

Foi um dia terrível mas libertador.

Terrível pro ego e libertador pra alma.

Já estava observando minha dificuldade pra receber, mas com este “evento” pude sentir literalmente na víscera.

Em especial, na base, minha dificuldade foi com a minha mãe mesmo, éramos muito parecidas e muito opostas ao mesmo tempo, e isto gerou bastante fricção, o que me incomodou o suficiente para ir me trabalhar no autoconhecimento, cheguei na autorresponsabilidade e aí a porta abriu.

Não caiu do céu, verdade, mas este é o preço que vale muito ser pago.

Segui atenta para me abrir pra receber e num dos cursos de access que fiz li

“Receber é uma das nossas maiores capacidades, e uma das coisas que recusamos mais dinamicamente”

Primeiro deu um curto circuito na minha mente, mas no coração,

me deu um alívio porque achava me um pouco esquisita com esta dinâmica, mas vi que é algo comum, pude relaxar e aprofundar minhas curas nas crenças do não merecimento.

Aos poucos foram sendo ativados os receptores de recebimento, nas dimensões do meu corpo, da minha biografia, e no meu entorno, então os ângulos vão se abrindo e cirando novas possibilidades além de “mim” ou além de “alguem”

Hoje já até sei receber, mas estou certa que ainda posso me disponibilizar ainda mais, e assim sigo reconhecendo e liberando as crenças limitantes e onde ainda tenho liberações ancestrais pra trabalhar.

Afinal o que podemos receber do universo em nossa conexão com a terra e com tudo mais muita há para onde transitarmos com nossa energia se estivermos na disponibilidade.

Em construção, mas sabendo que o que tenho já é bom, e nas infinitas possibilidades que posso me conectar a pergunta é : como pode melhorar ? O que mais é possível ?

E aproveito mais esta ferramenta, afinal ao fazer uma pergunta já somos a criação no campo das infinitas possibilidades.

Peço ao universo ….Atualiza

E me disponibilizo para o que vem a mim.

Assim sigo meu caminho e compartilho aquilo que já sei e isto fica disponível para todos que quiserem levar pra si

Estou aberta e receptiva para todo bem e abundância que existe e disponível para dançar com a potência das infinitas possibilidades, através de meu próprio corpo.

#receber

#psicologia

#constelaçãofamiliar

#cura

#transformação

#siari

2 Replies to “Receber … Ser a receptividade”

Deixe uma resposta para Taís Mori Sério Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: