Relaxar é quando dentro do tônus ganhamos espaço.

É estar leve nas ações comuns do dia a dia e mas nossas relações, é podermos estar expontâneos em nosso “Ser” sem a clausura do ego.

Parece tão ótimo e simples, até o cenário ideal, relaxar!

Mas quando vamos nesta tentativa, muitas vezes encontramos um ponto de tensão em alguma parte do nosso corpo ou até uma impossibilidade.

Um núcleo de tensão, pode ser a marca de algum trauma, alguma crença, repetição, uma fidelidade ao nosso sistema familiar ou a uma pessoa específica.

Sim ! Demanda uma investigação para identificar o que nossas vozes internas nos dizem.

Ao identificar podemos nos mover conscientemente para outra direção.

Compartilharei um pouco das etapas do meu processo.

Uma época de minha vida participei de vivências xamânicas, um trabalho da floresta, de expansão de consciência. Acessei uma sensação no meu corpo de muita tensão e muito fechado num espaço que estava inacessível, nesta tensão tinha dor, durante a experiência uma pessoa me dizia : relaxa Siari!

Identifiquei que não tinha a menor ideia de como relaxar.

Eu disse a ela : eu não sei relaxar !

Ela insistia e na terceira vez que ela repetia … relaxa e não considerava o que eu dizia, saiu uma catarse … num grito …

EU NÃO SEI RELAXAR !

Acessei esta impotência frente a possibilidade de relaxar.

Eram tantas exigências do meu ego, do eu idealizado que eu nem imaginava, mas sentia e o que inconsciente sentia se manifestava em tensão.

Aos poucos fui me desvendando nas prisões do ego, as crenças associadas e as fidelidades.

Este auto estudo nos revela e nos liberta assim acessamos um campo maior de relaxamento.

Relaxados temos mais espaço e flexibilidade.

Relaxar não é desmontar ou largar.

Relaxar é quando dentro do tônus ganhamos espaço.

Mas para ganharmos este espaço precisamos acessar o que ocupa este espaço, onde está o núcleo do trauma ou da crença.

Na época estava fazendo um curso de crenças e ali acessei uma fidelidade com mamãe, que sempre se orgulhava muito do quanto trabalhava muito e por este “muito trabalho” se permitia algum benefício, só merecia algo se fosse com muito esforço e peso.

Fui aos poucos desvendando e me permitindo ser diferente dela e identificar as crenças de não merecimento.

Foram muitas etapas, até que cheguei no trabalho das etnias nas constelações familiares, e aí pude compreender quantas gerações estavam sem permissão.

Meus ancestrais vieram da Itália para poder sobreviver aqui. Chegavam em navios, muitas vezes tendo mortes de familiares durante o trajeto, precisando deixar os corpos dos familiares mortos jogados no mar, e também deixarem tudo que tiveram inclusive parentes na Itália.

Chegando aqui “até” eram bem recebidos, só que não, afinal os italianos substituíam os escravos, e precisavam se submeter muito para obter um básico para sobrevivência.

Como seria se sentir merecedor, abundante e como relaxar nesta situação.

De outro lado papai descendente de negro, foi dado para adoção, e felizmente foi adotado por uma família que o zelou bem, mas as marcas biológicas de não merecimento estavam ali também.

Ao constelar e também muita terapia, estes temas foram se revelando e aos poucos pude ocupar meu lugar no meu sistema familiar e ficar com o que é meu e honrosa e respeitosamente deixar com cada um o que é de cada um.

Afinal estamos todos onde precisamos estar para podermos fazer nossos aprendizados e nossas escolhas.

Mas como fazer escolhas conscientes se estamos governados pelo inconsciente e por tantas fidelidades e emaranhados ancestrais ?

Como acessar toda potência, força e coragem que é nossa herança ancestral se não pudermos liberar as amarras ?

Nossas escolhas conscientes nos abrem caminho e possibilidade para alcançar o relaxamento do fluir e confiar no fluxo, confiar no presente e criar um futuro relaxado no presente.

Este caminho é o percurso que fiz e da forma como trabalho, assim, posso dizer sobre ele e falar destes resultados, posso então atestar sobre as mudanças químicas no corpo quando podemos acessar e liberar crenças limitantes e nos colocarmos em nosso lugar no nosso sistema familiar e assim nos direcionando ao nosso lugar na vida e no mundo.

Mas mesmo sem identificar podemos trabalhar nosso descondicionamento com meditação e várias outras técnicas que conseguem mudar nosso comportamento e nos levar a esta sensação em nosso corpo.

Depende das expectativas e demandas de cada um. E também identificar sua demanda e o seu momento.

As vezes queremos solução rápida e não queremos aprofundar na raiz.

E também o inverso, pode estar disponível para aprofundar e transformar na base.

Depende do que é a disponibilidade do momento e poder respeitar o que está por agora.

E estas demandas podem mudar, vamos observando o que vai chegando e fluindo.

Mas uma coisa é certa, só nós podemos dar conta do que estamos vivendo e termos clareza que é nossa escolha, se fizermos escolhas conscientes podemos ter melhores momentos de relaxar e fluir na vida e com a vida.

E com tudo isto e muito mais que muitas vezes até fazemos viagens pra lugares relaxantes e ao voltar logo voltamos para o antigo comportamento.

#siari #psicologia #constelaçãofamiliar

#escolhas #autoconhecimento

#autoresponsabilidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: